Sabia que os peões só podem circular nas ciclovias quando não existem locais destinados à sua circulação?

A implementação da rede de ciclovias urbanas de Torres Vedras é uma das operações do Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS), que irá permitir deslocações em segurança na cidade, especialmente para os cidadãos que utilizam a bicicleta nos percursos entre a sua residência e o local de trabalho, assim como para as crianças e jovens que, todos os dias, se deslocam para as escolas.

 

É importante que bicicletas, patins, trotinetas e outros meios equivalentes optem pelas ciclovias, sempre que elas existam. Ali, é proibida a circulação de veículos com mais de duas rodas não dispostas em linha ou que atrelem reboque (a não ser que o conjunto não exceda 1 m de largura).

Para garantir a segurança de todos, é proibido parar ou estacionar nas ciclovias e nas passagens de velocípedes. Mas é igualmente importante notar que os peões não podem circular nas ciclovias. A circulação a pé naquelas pistas é limitada a situações em que não existam locais especialmente destinados à circulação de peões.

 

A rede de ciclovias urbanas é composta por três tipos de ciclovias:

  • Corredores integrados na via, devidamente demarcados e separados da faixa de circulação automóvel;
  • Corredores que se encontram ao nível do passeio, separados da zona de circulação pedonal;
  • Vias partilhadas entre velocípedes e veículos motorizados com velocidade controlada de 30 km/h. Estes corredores estão sinalizados com uma faixa verde transversal à via, acompanhada pelo sinal de velocidade controlada e a representação gráfica de uma bicicleta.

A não perder

Comente este artigo