O Serviço de Pediatria da Unidade de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste já iniciou a colocação das primeiras “bombas de insulina” em utentes em idade pediátrica

O Serviço de Pediatria da Unidade de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste já iniciou a colocação das primeiras “bombas de insulina” em utentes em idade pediátrica. Este serviço é agora um Centro de Tratamento de Dispositivos de Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina (PSCI), no âmbito do Programa Nacional para a Diabetes da Direção-Geral da Saúde.

 

Esta nova valência irá possibilitar aos jovens diabéticos até aos 18 anos, acompanhados na Consulta da Diabetes Infantil na Unidade de Torres Vedras do CHOeste, a colocação de bombas de perfusão contínua de insulina sem custos financeiros para os utentes.  Este novo método de tratamento dispensa a realização de várias injeções durante o dia, dado que simula a secreção fisiológica de insulina pelo pâncreas.

 

Elisa Galo, pediatra com formação em endocrinologia responsável pela colocação das “bombas de insulina”, destaca que o tratamento da Diabetes Tipo 1 através destes dispositivos traduz-se «num melhor controlo metabólico, melhor qualidade de vida e maior flexibilidade no estilo de vida e prevenção de complicações inerentes a esta doença para estes jovens».

 

A colocação das primeiras bombas ocorreu no final de 2019 em duas jovens com Diabetes Tipo 1. Numa primeira fase existiu uma consulta multidisciplinar com médica, enfermeiras, nutricionista e psicóloga. Posteriormente, foi realizado um curso de preparação para o tratamento direcionado aos utentes e aos seus familiares com a duração de 16h. Durante a formação, a equipa multidisciplinar ensinou como se colocava e manuseava o dispositivo, acompanhou as diferentes refeições com pesagem dos alimentos e contagem dos hidratos de carbono, e realizou uma avaliação psicológica antes e após a colocação da bomba de insulina.

 

Para 2020 prevê-se a colocação de novos dispositivos de PSCI em outros jovens elegíveis.

A Unidade de Torres Vedras do Centro Hospitalar do Oeste já era Centro de Tratamento de Dispositivos de Perfusão Subcutânea Contínua de Insulina para utentes em idade adulta.

 

 

A não perder

Comente este artigo