A votação antecipada das forças de segurança iraquianas foi ensombrada hoje por uma série de atentados que causaram pelo menos 27 mortos e levantam receios em relação ao dia das eleições, marcadas para quarta-feira.
Soldados e polícias votam dois dias mais cedo para poderem depois vigiar as legislativas, as primeiras desde a partida das tropas norte-americanas no final de 2011.
Nas eleições anteriores, em 2010, os atentados causaram perto de 40 mortos e dezenas de feridos e, desde então, o Iraque mergulhou numa nova espiral de violência. Desde o início do ano foram mortos cerca de 600 soldados e polícias.