O piloto do avião da Malaysia Airlines que desapareceu há mais de duas semanas é considerado como o único responsável pelo voo se ter desviado da rota, diz uma fonte ligada à investigação citada pelo jornal USA Today.
De acordo com o jornal norte-americano, um oficial graduado das autoridades da Malásia envolvidas na investigação garante que não há provas de qualquer falha mecânica ou de sequestro do Boeing 777.
O investigador diz que o ato foi “premeditado” e que não foram encontradas também quaisquer ligações entre o piloto e grupos terroristas. Por outro lado, o co-piloto não tinha experiência suficiente para alterar a rota tal como aconteceu.
As autoridades acreditam que o piloto, alterou “deliberadamente” a rota do avião.
Hoje, foi também revelado que um satélite francês detetou mais de 120 objectos no Oceano Índico, que podem ser do avião. As buscas na zona estão a ser dificultadas pelo mau tempo.