O Fundo Monetário Internacional espera que a zona euro regresse ao crescimento em 2014, antecipando um aumento de 1,2% do PIB, mas alerta para os riscos que existem, incluindo os elevados níveis de desemprego e de dívida.
O baixo investimento, as condições de crédito e a fragmentação financeira, considerando o FMI que estes fatores “podem pesar na recuperação” económica.