Três exposições vão ser inauguradas na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino no final desta semana.

 
Uma delas será “Como as Cerejas”, uma mostra de trabalhos de 25 ilustradores portugueses, comissariada por Ju Godinho e Eduardo Filipe, a qual foi concebida para ser apresentada na Feira do Livro Infantil de Bolonha, em 2012, quando Portugal foi país convidado de honra nesse evento. Posteriormente foi ainda exibida na Feira Internacional do Livro de Bogotá, em 2013, e no Centro Cultural de Belém, em 2014.

 
Entre os autores escolhidos para este projeto, contam-se vários ilustradores galardoados com o Prémio Nacional de Ilustração e com vários títulos publicados, como Danuta Wojciechowska, Cristina Valadas, Marta Torrão, Teresa Lima, André Letria e Yara Kono. Esta ilustradora integra o coletivo da editora Planeta Tangerina, do qual fazem parte ainda os ilustradores Bernardo Carvalho e Madalena Matoso, também distinguidos com aquele prémio e selecionados para Bolonha. Há ainda nesta exposição novos ilustradores, como Catarina Sobral, que se estreou em 2011 com o livro “Greve”, Inês Oliveira e Ana Biscaia.

 
Henrique Cayatte e João Vaz de Carvalho, cujo trabalho se estende ao design e à pintura, e José Miguel Ribeiro, premiado realizador de cinema de animação — e com obra publicada também na ilustração para a infância — são três outros nomes que se destacam nesta mostra. A eles juntam-se Gémeo Luís, selecionado também para a mostra anual internacional da referida feira de Bolonha, Afonso Cruz (que viu o seu livro “A Contradição Humana” receber vários prémios em 2011), Ana Ventura (ilustradora que teve duas mostras no ano passado naquela cidade italiana) e Marta Madureira (que tem divulgado o seu trabalho na ilustração pela editora Tcharan).

 
“São autores consagrados, premiados, históricos, mas também ilustradores muito recentes”, disse Eduardo Filipe à agência Lusa. André da Loba, Gonçalo Viana e João Fazenda, cujo trabalho se divide entre a ilustração para a infância e o desenho de imprensa, em particular em publicações internacionais, Tiago Albuquerque, Alex Gozblau, Fátima Afonso e José Manuel Saraiva completam a lista dos 25 ilustradores.
A exposição “Como as Cerejas” é inaugurada no dia 17 de setembro, pelas 18h, e estará patente na Fábrica das Histórias até ao final do ano.

 
“Alma Nova” será inaugurada no dia seguinte, à mesma hora.

 
Esta mostra da autoria de Cláudio Sá, e que estará patente até agosto do próximo ano, dará a conhecer objetos que um dia pertenceram a Jaime Umbelino e um filme animado que assenta na sua biografia ficcionada. Ao saltar da esfera do privado para a esfera do público, mais do que refletir a própria história desses objetos e as memórias de uma vida, esta exposição dá a conhecer o coração de quem os possuiu e traça a trajetória que vai desde esse lugar no coração ao seu lugar na comunidade.

 
Por fim, no sábado, dia 19, pelas 10h30, será a vez de ser inaugurada na Fábrica das Histórias – Casa Jaime Umbelino a exposição “Um Amigo do Mundo”.

 
Trata-se de uma mostra coletiva de bonecas de pano decorrente da exploração do tema “Multiculturalidade” com as crianças da Creche de São José e que contou com um envolvimento muito significativo das suas famílias.

 
Estas bonecas são resultado do “Projeto Cri’Arte, Ser, Saber, Sentir” a partir do qual se partiu à descoberta de “Um Amigo no Mundo”.

 
Esta exposição estará patente até 21 de novembro.