O “Círculo de Transformação em Espelho”, de Annie Baker sobe ao palco do Teatro-Cine de Torres Vedras no próximo dia 30 de maio, sábado, pelas 21h30, num teatro/oficina produzido pelo Teatro Oficina e encenado pelo diretor artístico da companhia de teatro Marcos Barbosa. O Círculo de Transformação em Espelho destina-se a maiores de 12 anos e o preço do bilhete é de 5 €.
Círculo de Transformação em Espelho, de Annie Baker, é uma peça com um título complicado para explicar uma coisa simples. Cinco atores, num exercício teatral, convidam o público a participar e todos são testemunhas e vítimas de uma transformação comum, que a linguagem elementar de Annie Baker sugere, e que é definidora do sentido do teatro.
Numa pequena cidade, a abertura do curso de “Teatro criativo para adultos” desperta o interesse de um carpinteiro recentemente divorciado, de uma estudante de liceu, de uma antiga atriz e do próprio marido da professora, que nele se inscrevem, compondo a mais improvável das turmas. Como num divertido filme indie que progressivamente se revela, os participantes realizam os imaginativos (e, por vezes, estranhos) exercícios teatrais pensados pela professora, sem se aperceberem de que, à medida que a sua relação evolui, as atividades letivas aparentemente inconsequentes dão lugar a dramas reais, de que são os protagonistas.
“Círculo de Transformação em Espelho” estreou em 2009, vencendo o Prémio Obie para melhor peça de teatro americana em 2010 e foi nomeada para os reputados Drama Desk Award, prémios que reconhecem a excelência das peças apresentadas nos palcos de Nova Iorque para as categorias de Melhor Peça e Melhor Encenador. A peça recebeu excelentes críticas dos mais conceituados jornais. O New York Times considerou a peça “absorvente e com um humor afiado”. O jornal britânico The Guardian mostrou-se espantado com a sensibilidade de Baker, referindo tratar-se de “uma peça introspetiva sobre pessoas introvertidas”.

 

Annie Baker (n. 1981, Boston) venceu o Prémio Pulitzer 2014 com a peça Flick (2013). Formada em Escrita Dramática na Tisch School of Arts da Universidade de Nova Iorque, é ainda autora das premiadas peças The aliens (2010), Círculo de transformação em espelho (2009) e Body awareness (2008) e de uma adaptação da peça de Tchecov, O tio Vânia (2012), apresentadas em mais de 150 salas americanas e em mais de uma dezena de países.
FICHA TÉCNICA:
Texto: Annie Baker
Tradução: Manuel Neto
Encenação: Marcos Barbosa
Cenografia: Ricardo Preto
Desenho de luz: Pedro Vieira de Carvalho
Figurinos: Susana Abreu
Sonoplastia: Pedro Lima
Elenco: Alheli Guerrero, André Júlio Teixeira, Diana Sá, Marcos Barbosa e Teresa Coimbra
Produção executiva: Teatro Oficina