Foi assinado hoje um protocolo de cooperação entre o Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN) e o Centro Hospitalar do Oeste (CHO). A formalização desta parceria decorreu oficialmente no Museu do Hospital e das Caldas, na Unidade Hospitalar das Caldas da Rainha, pelas 10h00.

Esta parceira centra-se, sob a tutela da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), na definição dos princípios de colaboração entre o Serviço de Psiquiatria do CHLN e o CHO, Unidade Hospitalar das Caldas da Rainha, materializado através de um conjunto de iniciativas de ambas Instituições, com o objetivo de garantir aos doentes do foro psiquiátrico da área geográfica do Oeste Norte, capacidade de resposta célere e adequada às necessidades.

Assim, ao abrigo deste protocolo será feita a prestação de cuidados na especialidade de psiquiatria, através da gestão integrada de equipas de médicos psiquiatras do Serviço de Psiquiatria do CHLN e do CHO, que irão garantir a prestação de cuidados médicos da especialidade de psiquiatria nas atividades assistenciais e formativas de consulta externa, consultadoria e supervisão médica no Hospital das Caldas da Rainha, integrado no CHO, bem como no Serviço de Urgência do CHLN. A equipa de especialistas ficará sob a responsabilidade de um Assistente Graduado Hospitalar do Serviço de Psiquiatria do CHLN.

Em termos práticos, esta colaboração passará pela mobilização de recursos humanos médicos do CHLN, que assegurarão as necessidades e atividades previstas do CHO como, em regime de consultoria, das Unidades do ACES Oeste Norte. Esta alocação de recursos humanos será avaliada trimestralmente pelas entidades signatárias supramencionadas.

Este protocolo tem, na qualidade de signatários, da parte da ARSLVT, o Dr. Luís Cunha Ribeiro, seu Presidente do Conselho Diretivo, da parte do CHLN, o seu Presidente do Conselho de Administração, Dr. Carlos Neves Martins e da parte do CHO, o seu Presidente do Conselho de Administração, Dr. Carlos Sá.

O protocolo procura, através da parceria inter-hospitalar, solucionar as carências existentes na área de abrangência do CHO, no âmbito da saúde mental. Em termos legais, a Lei Decreto-lei nº 35/99, vem definir o modelo de referenciação, estabelece relações de apoio e complementaridade entre as instituições e garante o acesso adequado aos cuidados de saúde.

Esta flexibilidade na mobilidade e gestão de profissionais facilita a colaboração interinstitucional e cumpre o objetivo da partilha de recursos e rentabilização de equipamentos dentro do SNS. Assim, ao serviço do doente, firma-se um protocolo centrado na premissa da segurança e qualidade, acrescida de esforço de poupança, com o aumento da capacidade instalada, mobilizando os profissionais e simultaneamente salvaguardando deslocações desnecessárias aos doentes do foro psiquiátrico.

Adicionalmente, o CHO tem a decorrer um concurso com duas vagas para assistente hospitalar de psiquiatria. Caso as vagas venham a ser preenchidas, o concurso permitirá, até ao final do ano, integrar dois médicos psiquiatras no mapa de pessoal próprio do CHO.