Por forma a melhorar as condições de atendimento e permanência dos utentes no Serviço de Urgência, o CHO tem vindo, desde novembro de 2014, a implementar um conjunto de medidas, inseridas no plano de contingência para o período de inverno, das quais se salienta:

– aumento de 10 camas de internamento na Unidade de Peniche e a realocação de até mais 18 camas para apoio à Urgência noutros serviços de internamento, nas unidades de Caldas da Rainha e Torres Vedras;
– reforço das equipas médicas e de enfermagem do Serviço de Urgência, com mais um clínico geral na Unidade de Caldas da Rainha (desde dezembro) e na Unidade de Torres Vedras (desde janeiro);
– agilização do processo de transferência de utentes do Serviço de Urgência e de gestão de altas;
– reforço de macas no Serviço de Urgência, com aquisição de mais seis macas, para além das oito que já tinham sido adquiridas em julho de 2014;
– reuniões de trabalho com os ACES, de modo a melhorar a articulação dos cuidados primários com os cuidados hospitalares;
– reuniões de trabalho com as corporações de bombeiros, para avaliar e procurar antecipar a resposta a eventuais picos de afluxo à Urgência, das quais resultaram propostas de alteração dos procedimentos administrativos na admissão do doente e devolução da respetiva maca;
– caso venha a ser necessário, a contratualização de camas, durante o período de inverno, com lares da região, para transferir utentes com alta clínica que aguardam transferência para a rede de cuidados continuados ou casos sociais, que neste momento ocupam camas de doentes agudos nos serviços de internamento do CHO.

O número de doentes acamados que diariamente recorre às Urgências Médico-Cirúrgicas do CHO, tem vindo a aumentar significativamente sendo maioritariamente doentes debilitados e com patologias crónicas diversas e associadas.

O CHO alerta também os utentes da região Oeste para que contactem em primeiro lugar a Linha de Saúde 24 ou dirijam-se aos Centros de Saúde, de modo a evitar uma sobrecarga da urgência hospitalar e os tempos de espera prolongados, reservando o Serviço de Urgência para os utentes que necessitam de cuidados de saúde emergentes e diferenciados.

Medidas dos Agrupamentos dos Centros de Saúde do Oeste Norte e Oeste Sul para fazer face ao surto da gripe 2015

De acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS) e da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT), os ACES do Oeste Norte e Oeste Sul elaboraram um plano de contingência para fazer face ao surto de gripe de 2015, que se consubstancia nas seguintes medidas:

– o alargamento do horário de atendimento dos utentes:

Desde o dia 19 de janeiro e até ao dia 27 de fevereiro, o alargamento do horário de atendimento do CATUS de Torres Vedras, que vai funcionar todos os dias da semana das 8.00 às 22.00 horas e o reforço do número de horas de atendimento médico no SAP de Mafra, que vai passar a funcionar com 2 médicos, 24/24 horas, todos os dias da semana;

– prioridade de acesso aos casos de doença aguda, em especial a gripe;
– a continuação do Plano de Vacinação da Gripe, sobretudo para os utentes mais vulneráveis (+ 65 anos e doentes crónicos);
– a adopção das medidas previstas no Plano de Prevenção Resposta para Outono e Inverno da DGS, tais como: a higienização das mãos, colocando dispositivos fixos de solução alcoólica (SABA); o distanciamento social; a etiqueta respiratória, a utilização da Linha de Saúde 24; a disponibilização de máscara a todos os doentes com sintomatologia respiratória; a formação e o esclarecimento do pessoal de atendimento sobre as medidas tomadas e o seu cumprimento.

No âmbito da informação para a saúde e da disponibilização de informação útil aos utentes, as três instituições têm divulgado, através de diversos meios (cartazes, folhetos, vídeos institucionais, portais da internet e órgãos de comunicação social), informação sobre a gripe sazonal, a importância da vacinação, a importância da utilização da Linha de Saúde 24.