O ciclo Café com Filmes, promovido pela Câmara Municipal de Torres Vedras em parceria com o Académico de Torres Vedras, no Teatro-Cine de Torres Vedras, vai prosseguir.

Os próximos filmes a serem exibidos no âmbito deste ciclo são os seguintes:

15/1 | 21h30 | “A Terra dos Carecas”, de Bernie Rao (Nova Zelândia, 2014) | Sinopse: ” O humor negro neozelandês está de volta, desta vez com um filme assinado por um realizador emigrante português. O filme chama-se “A Terra dos Carecas” e é um misto de comédia negra, sátira social e drama distópico. A história passa-se na Nova Zelândia, num futuro próximo, e a narrativa gira à volta de uma lei polémica e radical que o primeiro-ministro neozelandês faz passar sem explicação, tornando a calvície num crime grave. A única salvação para os calvos parece ser um mítico lugar, algures numa floresta, chamado “A Terra dos Carecas” onde, supostamente, os calvos podem viver em liberdade. Uma comédia dramática que nos relembra que a liberdade é sempre uma ilusão”. A exibição deste filme será musicada ao vivo e no final haverá uma conversa com o respetivo realizador.

5/2 | 21h30 | “Reality”, de Matteo Garrone (Itália, 2012)| Sinopse: “É a história de Luciano, napolitano, e da sua família que um dia o convence a concorrer ao “Big Brother”. E de como o perseguir de um sonho tolda a sua perceção da realidade. “Reality“ é a crónica de um homem desesperado, num filme que marca o regresso da comédia italiana, ao estilo de Fellini, Risi e Monicelli”. Esta película foi premiada com o Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes de 2012.

26/2 | 21h30 | “Charulata”, de Satyajit Ray (Índia, 1964) | Sinopse: “A solitária mulher de um jornalista apaixona-se pelo familiar do marido que visita a sua casa e que partilha consigo o amor pela Literatura”. Este filme obteve no Festival de Berlim de 1965 o “Urso de Prata” relativo à categoria de Melhor Realizador e o prémio da Organização Católica Internacional do Cinema.
12/3 | 21h30 | “O Acto de Matar”, de Joshua Oppenheimer (Dinamarca, 2012) | Sinopse: “Num país onde os assassinos são celebrados como heróis, o realizador e a sua equipa desafiaram os líderes impenitentes dos esquadrões da morte a encenar o seu papel no genocídio. O resultado alucinante é um delirante sonho cinematográfico, um mergulho perturbador nas profundezas da imaginação de assassinos em massa e no chocante regime de corrupção e impunidade banais em que vivem”. Este filme foi nomeado para o “Óscar” de Melhor Documentário, venceu os Prémios BAFTA como Melhor Documentário, tendo ainda sido nomeado para melhor filme estrangeiro dos mesmos, venceu no Festival de Berlim os prémios Panorama do Público e Júri Ecuménico, no Indie Lisboa o Prémio Amnistia Internacional, no Documenta Madrid o Primeiro Prémio do Júri e o Prémio do Público e no CPH:DOX o DOX:AWARD.

19/3 | 21h30 | “O Fio da Vida”, de Anders Rønnow Klarlund (Dinamarca, 2014) | Sinopse: “Antecipando a comemoração do Dia Internacional da Marioneta (21 de março) apresentamos um dos mais extraordinários e surpreendentes filmes feitos com marionetas, que levou 4 anos a ser concretizado, fruto do esforço de duzentas pessoas oriundas de todos os cantos da Europa. Uma história mitológica sobre o filho de um rei, Hal Tara, que inicia uma viagem para vingar a morte do seu pai. Para sua surpresa este descobre a verdade do seu povo – e onde menos espera – ele encontra o verdadeiro amor… Um projeto visualmente esmagador e mágico, “O Fio da Vida” transporta-nos ao fantástico e místico universo das marionetas”.
O ciclo Café com Filmes parte da tradição de Torres Vedras na área do cinema, nomeadamente de um passado cineclubista. É objetivo da iniciativa lançar e dinamizar um conjunto de atividades à volta do mundo do cinema e vídeo, sobretudo mediante a exibição de filmes que contribuam para a formação de olhares sobre o mundo e a sociedade, para a descodificação da linguagem e para a formação de novos públicos.

O visionamento dos filmes deste ciclo tem um custo de 2 euros (1 euro para os espetadores pertencentes ao Grupo de Amigos do Teatro-Cine de Torres Vedras e sócios do Académico de Torres Vedras).