A Assembleia Municipal de Torres Vedras está contra a privatização da Valorsul e da Empresa Geral de Fomento, empresa-mãe de todos os sistemas de tratamento e valorização de resíduos sólidos do país.

A moção apresentada pelo PS e divulgada pela Agência Lusa sublinha que “o processo de privatização não contempla a possibilidade de os municípios exercerem direito de compra das ações”.

Segundo a moção, também há falta de garantias quanto à eventual subida do preço das tarifas e à redução de postos de trabalho.

A moção defende que “não há uma justificação plausível” para a privatização quando, no caso da Valorsul, o sistema “fecha as contas com resultados positivos” e detém o “monopólio” do tratamento e valorização dos resíduos urbanos produzidos nos municípios da Grande Lisboa e da região Oeste.

A moção apresentada pelo PS foi aprovada pelos deputados do PS, CDU, CDS-PP e independentes e teve a abstenção do PSD.

Foto: Paços do Concelho pela Associação de Defesa do Património de Torres Vedras.