Arte Australiana vai estar patente na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras entre os dias 30 de janeiro a 5 de março.

Segundo refere a sinopse da respetiva exposição, que é propriedade da embaixada da Austrália em Portugal e dará a conhecer obras de artistas indígenas das ilhas do estreito de Torres: “Ao invés da maioria das expressões da arte ocidental, a arte indígena australiana não é concebida a partir de um tema percetível, não se aplicando tão-pouco a ela a noção ocidental de estética, nem o desejo do artista de comunicar emoções, pensamentos, observações ou comentários de uma forma individual. Segundo a tradição indígena, um artista apenas está autorizado a retratar as imagens e as histórias às quais tem direito pelo nascimento, descrevendo imagens enraízadas no conceito conhecido como “Sonho” (“Dreamtime” ou “Dreaming”), que se refere a uma era sagrada em que os espíritos ancestrais criaram o mundo e constitui um elo com os seus antepassados.

Atualmente, artistas como Alick Tipoti, Glen Mackie, Joel Sam, Solomon Booth e Victor Motlop expressam de forma mais gráfica a cultura dos seus antepassados e conseguiram despertar o interesse internacional na arte dos seus povos. Recorrendo a técnicas modernas, narram lendas e mitos das suas tribos, nas quais predomina uma forte ligação ao mar, combinando um sólido sentido pictórico com o uso apurado de cores e texturas. Os seus trabalhos são considerados dos mais imaginativos e estilisticamente entusiasmantes de entre a arte indígena australiana contemporânea, tendo alcançado visibilidade além-fronteiras, graças à participação em várias mostras e eventos internacionais, trabalhos comissionados por instituições de renome e importantes distinções recebidas”.

A inauguração da referida exposição na Paços – Galeria Municipal de Torres Vedras acontecerá no próximo dia 30 de janeiro, pelas 17h.