A Câmara de Torres Vedras vai aguardar pela realização da Feira de São Pedro no Parque de Exposições, para transferir para ali em julho a rodoviária e implementar na cidade novas regras de estacionamento.
As novas regras foram aprovadas na segunda-feira à noite pela Assembleia Municipal, com o PS a votar a favor, o CDS-PP e a CDU a votarem contra e com a abstenção do PSD e independentes.
A deslocalização do Terminal Rodoviário de uma das avenidas mais movimentadas do centro da cidade para a zona mais periférica decorre da necessidade de oferecer estacionamento gratuito aos cerca de mil de passageiros que diariamente se deslocam de autocarro de Torres Vedras para Lisboa 60% dos quais deixa o automóvel na cidade.
Mais do que aceitar a transferência, a empresa de transportes públicos rodoviários, Barraqueiro Oeste, propôs a transferência integral de todas as operações, “ face ao elevado número de passageiros que efectuam transbordo entre carreiras “ e aos 2,4 milhões de passageiros que transporta por ano só entre Torres Vedras e Lisboa.
A operadora não só quer melhorar o espaço para a tomada e largada de passageiros sem que os autocarros se cruzem com as pessoas, minimizando o risco de acidentes, como também criar condições de estacionamento gratuito para os passageiros, sem que tenham de andar à procura de lugar livres e gratuitos que quase não existem nas imediações do actual terminal.
Um abaixo-assinado, com várias centenas de assinaturas, circula na cidade contra a transferência da rodoviária, com os promotores a considerarem que penaliza o comércio, afasta os cidadãos dos serviços públicos da cidade e cria maior insegurança nos passageiros em períodos “fora de horas”.
Com a deslocalização do Terminal Rodoviário e a consequente libertação de lugares de estacionamento no centro da cidade a favor dos moradores, do comércio e dos serviços públicos, autarquia vai avançar em julho com novas regras de estacionamento.
O novo sistema prevê a existência de 4.013 lugares para residentes 3.408 lugares gratuitos nos parques periféricos no centro histórico e 5.608 lugares pagos, sendo 1.906 de rotação rápida.
Segundo a autarquia, estima-se que permaneçam por dia entre dois a três mil automóveis.