A Assembleia Municipal de Torres Vedras quer mais investimentos na Linha ferroviária do Oeste, através dos novos fundos comunitários, de modo a tornar esta linha sustentável em termos económicos.
Na moção aprovada ontem, os eleitos de Torres Vedras consideram fundamental que o desenvolvimento da Linha contemple a alteração do atual traçado, que termina no Cacém, na Linha de Sintra, por um novo traçado a partir da Malveira até à Linha do Norte, em Sacavém”.
Na moção apresentada pelo PSD, é referido ainda que o traçado está desatualizado e falta a eletrificação da linha.
Também a ausência de uma ligação direta à capital tem condicionado o tráfego de passageiros e mercadorias, concluem os deputados municipais de Torres Vedras.

Ainda na Assembleia Municipal de ontem, foi ainda anunciado que a Câmara de Torres Vedras fechou o ano de 2013 com um resultado positivo de 4,6 milhões de euros.
Segundo deve-se ao equilíbrio financeiro, a câmara vai começar em maio a pagar a 90 dias aos fornecedores, prazo que deverá ser reduzido para 60 dias em 2015.
Enquanto o PS elogiou a “estratégia da sustentabilidade progressiva” e o grau de execução orçamental, o PSD defendeu a necessidade de reduzir o Imposto Municipal sobre Imóveis aos cidadãos do concelho, já que conseguiu um ganho excedentário de 1,4 milhões de euros e as contas do município estão equilibradas.
A CDU criticou a existência de dívidas de curto prazo e o corte de verbas para as freguesias e para as associações, mas o autarca socialista esclareceu que os cortes não atingem despesas essenciais.